quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Alimentação na Terceira Idade



É importante ter em mente que os cuidados nutricionais na terceira idade não são apenas os cuidados terapêuticos. Nunca é tarde para considerar a nutrição como um fator de promoção de saúde e prevenção de doenças. Atualmente, os idosos buscam por informações sobre saúde e nutrição e estão dispostos a fazer modificações  visando manter a sua independência e qualidade de vida. O envelhecimento é um processo biológico natural. Entretanto, envolve algum declínio nas funções fisiológicas. Várias são os fatores relacionados à má alimentação que atingem os idosos como um reflexo de seu estilo de vida:

Dificuldades na mastigação
Deve-se considerar a utilização de próteses dentárias ou a falta dos dentes. Para se manter a função de mastigação, muitas vezes é necessário mudar a textura (consistência) dos alimentos.

Hábitos alimentares
Os hábitos alimentares foram adquiridos desde a infância e sustentados ao longo da vida, portanto, nem sempre é fácil modificá-los. A alimentação está condicionada aos hábitos familiares, religiosos e socioeconômicos, que devem ser respeitados para se conseguir êxito quando as mudanças são necessárias.

Situação socioeconômica
A renda familiar ou a do idoso é um fator que interfere diretamente na sua alimentação. Deve-se recomendar a aquisição de alimentos da época, principalmente frutas e hortaliças, pois são os que apresentam um custo menor, são mais nutritivos e saudáveis.

Constipação intestinal
A constipação pode ocorrer devido ao baixo consumo de alimentos ricos em fibras, gorduras saudáveis e água, pela falta de atividade física, atonia muscular e alterações hormonais. A constipação é uma queixa constante na população idosa, seja na situação ambulatorial, seja em pacientes acamados por longos períodos, em seu domicílio ou em instituições. Deve-se então fornecer abundante quantidade de líquidos e de alimentos ricos em fibras insolúveis. Insistir no consumo de frutas frescas e secas, hortaliças (verduras e legumes), cereais integrais e produtos derivados, e algumas fontes de gorduras saudáveis, como azeite de oliva e castanhas.

Diminuição da atividade dos órgãos dos sentido
Com o avanço da idade, ocorre diminuição das sensibilidades gustativa e olfativa que, consequentemente, levam à redução da sensibilidade ao cheiro e sabor dos alimentos, que estão associados à perda do apetite.
A alimentação deve ser atraente, preparada e temperada com ervas frescas e temperos que ativem essas sensações, mas sempre com certa restrição ao uso do sal e temperos industrializados para não ocasionar hipertensão arterial.

Processos digestivos mais lentos
A alimentação diária deve ser fracionada em várias refeições, sendo o ideal 6 refeições ao dia com volume reduzido, alimentos bem cozidos, com texturas brandas e de fácil digestão. Na terceira idade há diminuição na produção de enzimas digestivas e do ácido clorídrico, o que dificulta a digestão de alguns alimentos.
Evitar carnes gordas, frituras, embutidos, pimentão, pepino, couve-flor e cebola crua, que são alimentos que demoram mais a ser digeridos.

Dificuldade de mobilização
A incidência da osteoporose pode levar o idoso à situação de imobilização parcial ou total. Nesse caso, a alimentação e o incentivo à atividade física leve, como alongamento, ioga e caminhada, são fatores importantes que deverão ser estimulados e controlados.
Incentivar o consumo de alimentos ricos em cálcio e fósforo e tomar sol nos horários recomendados.


Diminuição da ingestão de Ferro
A anemia é um problema presente em alguns idosos, uma vez que a capacidade de hematopoiese (a formação dos eritrócitos, leucócitos e plaquetas do sangue) está reduzida pela diminuição da superfície da medula óssea, geralmente localizada apenas nas extremidades dos ossos longos.
O consumo de alimentos ricos em ferro é recomendado.

Priorizar o consumo de alimentos fontes de vitaminas e sais minerais
Nos idosos, a carência de vitamina C é comum e, com  frequência, leva a gripes e resfriados ou a processos infecciosos. Procure oferecer alimentos ricos em vitamina C juntamente com alimentos fonte de Ferro, pois um auxilia na absorção do outro.

Incluir nas refeições vitaminas do complexo B que auxiliam na produção de energia, juntamente com os carboidratos, vitaminas A, C e E que tem função antioxidante e vitamina K que age no processo de coagulação sanguínea pera evitar hemorragias. Todos os minerais devem estar presentes na dieta.




Socialização
Apesar de o envelhecimento produzir mudanças no corpo e, consequentemente, na imagem corporal e na auto-estima, os indivíduos da melhor idade que superam essa crise estarão aptos a assumir sua identidade na sociedade, sentindo-se seguros, valorizados e queridos.
A aceitação social pode trazer mais vigor e criar um novo estilo de vida, tornando o idoso aberto a novas experiências, interesses específicos, relacionamentos qualitativos e mais disposto a participar da vida num conjunto de ganhos.
O envelhecimento será saudável se as condições físicas e sociais forem satisfatórias. Trata-se de um delicado equilíbrio entre limitações e potencialidades.
Quanto à família e à sociedade espera-se que entendam a eventual dependência do idoso, as modificações físicas que surgem, propiciando relações afetivas necessárias para sua segurança e considerando as oscilações entre dependência e autonomia.
A sociedade deve participar e precisa estar junto para que esse grupo possa prosseguir em sua caminhada e transmitir seus saberes e sua cultura acumulada. Essas experiências de vida ninguém pode tirar!


DEZ PASSOS DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL PARA PESSOAS IDOSAS

1.    Faça pelo menos três refeições (café da manhã, almoço e jantar) e dois lanches saudáveis por dia. Não pule as refeições!

2.    Inclua diariamente 6 porções do grupo dos cereais (arroz, milho e trigo, pães e massas), tubérculos (batata) e raízes (mandioca) nas refeições. Esses alimentos são fontes de carboidratos. Dê preferência aos grãos integrais e aos alimentos na forma mais natural.

3.    Coma diariamente pelo menos 3 porções de legumes e verduras como parte das refeições e 3 porções ou mais de frutas nas sobremesas e lanches.
   

4.    Coma feijão com arroz todos os dias, ou pelo menos 5 vezes por semana. Esse prato brasileiro é uma combinação completa de proteínas e faz bem para a saúde.

5.    Consuma diariamente 3 porções de leite e derivados e 1 porção de carnes, aves, peixes ou ovos. Retirar a gordura aparente das carnes e a pele das aves antes da preparação torna esses alimentos mais saudáveis.

6.    Consuma no máximo 1 porção por dia de óleos vegetais, azeite, manteiga ou margarina.

7.    Evite refrigerantes e sucos industrializados, bolos com recheio e/ou cobertura, biscoitos recheados e outras guloseimas. Coma-os no máximo 2 vezes por semana.

8.    Diminua a quantidade de sal na comida e retire o saleiro da mesa.

9.    Beba pelo menos 2 litros de água por dia. Dê preferência ao consumo de água nos intervalos das refeições.

10. Torne sua vida mais saudável. Pratique pelo menos 30 minutos de atividade física moderada todos os dias e evite as bebidas alcoólicas e o fumo.


Até a próxima pessoal!!
Beijo!!
   

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que faz mais sucesso no blog...